Passando o ponto: como ter sucesso nessa transação em 10 passos

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×
Passando o ponto

Atualmente, é comum ver pelas ruas uma série de placas anunciando o ponto de diferentes comércios, sejam eles restaurantes, bares ou lanchonetes. Quando essa transação acontece, ela pode ocorrer de duas maneiras: passando o ponto por si só ou passando o ponto comercial por completo.

No primeiro caso, é transferido apenas o contrato de aluguel do imóvel e o dono permanece com equipamentos, estoques e a marca. Já o segundo acaba sendo o mais comum e a empresa é vendida com tudo, inclusive o maquinário.

Se você quer investir o seu dinheiro nesse tipo de negócio que pode ser bem lucrativo e ainda tem dúvidas a respeito, leia as 3 dicas abaixo e solucione o mistério!

1. Passar o ponto não é sinônimo de um mal funcionamento

Ao contrário do que muitos pensam, investir não é tão complicado e custoso quanto parece e, neste caso, investir na compra de um ponto pode ser a solução para aqueles que querem ser donos do próprio negócio.

De início, alguns podem pensar que comprar uma empresa ao invés de iniciá-la do zero pode ser uma decisão de risco. Ainda assim, passar o ponto não quer dizer que não haja saúde financeira ou clientes fiéis naquele estabelecimento.

Muitas vezes, o negócio é lucrativo, mas o dono possui questões pessoais – como aposentadoria ou filhos que não querem dar continuidade à empresa – que o fazem repensar. E, convenhamos, simplesmente fechar o estabelecimento pode ser um grande prejuízo para o empresário. Então, a escolha de anunciar que está passando o ponto é bem eficaz.

2. Valorização

Se você está buscando a chance de aplicar seu dinheiro e sabe a necessidade de investir, não há relação com maior custo-benefício do que essa transição. Afinal, é comum que os imóveis valorizem com o tempo e se o estabelecimento está ali há um período, provavelmente ele já possui clientela, funciona corretamente e é lucrativo, o que é um componente fundamental quando for escolher o ponto.

Atente-se que, além de máquinas e móveis, há outros itens extremamente importantes, como o marketing que já foi feito, a movimentação e o crescimento comercial que teve naquele ambiente. E para ter certeza de que o investimento vale a pena, acompanhe o dia a dia dele por pelo menos um mês. Pode ser uma boa forma de observação.

3. Passando o ponto com sabedoria

A procura pela empresa ideal não precisa ser de porta em porta. Com a internet, há diferentes formas de anunciar a venda sem ser com uma faixa no estabelecimento e também diferentes maneiras de procurar por esse local em um ambiente que dê maior visibilidade. Para isso, existem sites especializados que ajudam o comprador (e o vendedor!) a realizar suas transações, contratos e propagandas por um valor que cabe no seu bolso.

4. Organize as demonstrações financeiras

A transação de quem está passando o ponto, ou comprando, envolve uma troca constante de informações. E, evidentemente, o ponto de vista financeiro é o mais importante.

Por isso, é preciso que todas as demonstrações financeiras estejam em dia, especialmente em relação ao lucro e ao volume de vendas. Caso as receitas estejam em queda, é preciso demonstrar que isso é algo passageiro, por conta de algum fator externo que está prejudicando os negócios.

5. Uma troca de perguntas e respostas

Quem está passando o ponto deve se preparar para responder diversas perguntas, não somente em relação à organização financeira do negócio. Afinal, o comprador irá tê-las aos montes.
Uma das primeiras é sempre em relação ao motivo da passagem do ponto. É compreensível haver uma certa hesitação e desconfiança por partes dos compradores, afinal, eles precisam saber bem onde estão investindo o seu dinheiro. Portanto, busque responder cada pergunta de modo a tranquilizar o comprador.
Por exemplo, se a motivação para a venda for pessoal, como já mencionamos acima, não hesite em responder, já que isso geralmente tranquiliza bastante os potenciais compradores.
Outra pergunta comum é como é o dia a dia da empresa. Existe uma curiosidade, e uma preocupação, natural no momento de passar o ponto. Afinal, esta vai ser a nova vida do comprador que, muitas vezes, precisará gerenciar de perto o negócio.
Neste caso, é preciso ser honesto, mas aproveitar a oportunidade para vender o seu ponto. É importante destacar as características positivas e dar a liberdade para que o comprador se imagine como dono do local. Apesar de o racional ter um peso muito grande, o emocional também é um grande motivador para a compra.

6. Entenda bem o seu público alvo

Seja uma loja, uma empresa ou qualquer outro tipo de negócio, sempre existe o público alvo para o mesmo. Por isso, ao passar o ponto e no momento de comprá-lo, entenda bem que existe um público alvo específico e formas de atendê-lo. Assim, a garantia de retorno é consideravelmente maior.
Isso é bem claro no momento de passar uma loja, por exemplo. Se ela for localizada em um ponto com bastante movimentação de pessoas que sejam potenciais clientes, o volume interessado em comprá-la é muito maior.
De maneira geral, a localização é sempre um ponto importante no momento de passar o ponto. Por isso, essa vantagem deve ser sempre destacada.

7. Entenda o que você quer e o que o dono precisa

Como mencionamos acima, passar o ponto pode significar duas coisas. Portanto, no momento de fazê-lo, é preciso sempre garantir que as suas expectativas estejam alinhadas com as do comprador.
Para ter mais sucesso nessa negociação é necessário deixar bem claro, logo de cara, exatamente o que você pretende e se você aceita ambos ou apenas um deles. No caso do comprador, também é preciso deixar claras as suas intenções, para que ninguém perca tempo em um negócio que pode não dar certo.
Cada uma destas possibilidades tem as suas vantagens e desvantagens. É evidente que vender tudo de uma única vez resolve o problema mais rapidamente, em uma “tacada” só, mas vender o ponto para um e o inventário para outro pode aumentar o valor do conjunto. É preciso colocar no papel e avaliar a sua disponibilidade para entender qual é a melhor opção.

8. Organizando a infraestrutura


Outra preocupação importante no momento de passar o ponto é deixá-lo com uma infraestrutura desejável. O custo das obras pode ser bem alto, e se o vendedor não arcar com elas antes de vendê-la, o comprador certamente irá abatê-la do preço. Portanto, a sua margem de retorno pode ser bem menor.
Neste caso, existem algumas opções. O vendedor pode arcar com os custos da obra, para elevar o valor do ponto. Por outro lado, pode não se importar com isso e deixar a cargo do comprador. É possível que ele faça uma reforma mesmo que o ambiente está em condições impecáveis, o que significa que existe o risco de você fazer “à toa”.

9. Declarando que todas as obrigações estão cumpridas

No momento de passar o ponto também é preciso demonstrar o cumprimento de algumas obrigações. É preciso deixar claro que todas as autorizações e licenças estão em dia, além de todas as obrigações fiscais e imobiliárias.
Em casos de shoppings, é preciso garantir que as taxas estão pagas em dia e também é necessária uma autorização da administração do shopping. Seja qual for o caso, todas as informações devem ser bem organizadas, garantindo que tudo está em ordem, o que facilita muito o negócio.
Muitas vezes, estes problemas nem tem um impacto financeiro tão grande, mas podem pegar muito mal antes de fechar o negócio, pois o comprador não quer mais um problema para resolver, mesmo que ele seja pequeno.

10. Capriche na avaliação do preço

Um momento importantíssimo é a avaliação do preço do ponto a ser passado. É óbvio que você ninguém quer sair no prejuízo, vendendo pelo valor mais alto possível, mas também é necessário pedir um preço que esteja de acordo com a expectativa do mercado. Neste caso, existem complexidades de acordo com o negócio a ser feito.
Em uma passagem de ponto simples, apenas para efeito imobiliário, é preciso fazer a avaliação com um agente profissional, que seja bem experiente. Assim, ele irá poder determinar o preço ideal para você tenha o maior retorno e o mínimo de tempo parado.
No caso de uma venda mais completa, é preciso avaliar o valor da empresa como um todo, considerando o inventário, a marca e tudo mais. Neste caso, existem diversas metodologias para determinar o quanto realmente custa a empresa. Fique muito atento a isso, pois qualquer valor para cima ou para baixo, pode deixar o cliente desconfiado e inviabilizar o negócio.

A Quero Um Negócio trabalha com a maior quantidade de anúncios do Brasil e pode ser uma excelente alternativa tanto para quem está passando o ponto quanto para quem quer entrar nessa empreitada com tudo. Aproveite!

Comentários no Facebook